Seleccione área geográfica  
Global contacts

We operate in more than 50 countries around the world. If your country is not on the list, please refer to our global contacts.

View contacts
Global contacts

We operate in more than 50 countries around the world. If your country is not on the list, please refer to our global contacts.

View contacts
Global contacts

We operate in more than 50 countries around the world. If your country is not on the list, please refer to our global contacts.

View contacts
Global contacts

We operate in more than 50 countries around the world. If your country is not on the list, please refer to our global contacts.

View contacts
Global contacts

We operate in more than 50 countries around the world. If your country is not on the list, please refer to our global contacts.

View contacts
Notícias
andres_espinosa_tecnologia

Como utilizar as novas tecnologias para maximizar a eficácia na integração de serviços

Andres Espinosa
Service Excellence Center ISS Ibéria 

Estamos a tirar o máximo partido das nossas máquinas ou das nossas instalações? Aproveitamos as capacidades e aptidões dos nossos colaboradores? Alcançar uma maior eficiência é um dos objetivos de qualquer empresa, seja do setor que seja, mas quando se trata de produção industrial, é especialmente importante que a coordenação entre pessoas e tecnologia funcione na perfeição. Para levar a cabo uma análise em profundidade do estado da nossa empresa, e levar a cabo modificações quando necessárias, há que conhecer bem o ambiente, as equipas de trabalho e os sistemas implementados.

Para alcançar essa otimização do serviço, na ISS desenvolvemos a Integration@ISS, uma metodologia de trabalho para identificar sinergias operacionais no mundo dos Facility Services. Trata-se de uma ferramenta de melhoria contínua que nos dá a possibilidade de otimizar turnos, nivelar a carga de trabalho e alcançar uma integração completa dos serviços. A implementação deste sistema, permite-nos ainda mediante a análise de dados das tarefas que se realizam, das pessoas que formam a equipa e da metodologia que se usa , oferecer uma visão global de qual é o funcionamento da produção e implementar assim melhorias.

Em que consiste a implantação da Integration@ISS de forma prática? A informação dos colaboradores está incluída no sistema: especialização, horários, postos nos quais já estiveram, capacidades, etc. No caso de um pedido urgente ou de um aumento da produção pontual, por exemplo, o sistema pode identificar as pessoas necessárias para satisfazer esta exigência segundo as suas capacidades e disponibilidade. Com esta metodologia podemos criar vários cenários a partir da informação reunida e gerir o serviço de forma mais flexível e eficiente, reorganizando-o em função das capacidades de cada colaborador e necessidades de cada momento.

Integration@ISS incluiu também a abordagem de sinergias para reduzir os custos. Como as tarefas são classificadas segundo o grau de complexidade e de flexibilidade na execução, podemos identificar aquelas que são suscetíveis de serem repensadas e reatribuídas. O programa incorpora variáveis como dimensão dos espaços, tempos mortos e níveis de formação dos colaboradores para decidir se algum deles poderia ocupar-se dessa tarefa. Um exemplo prático, extrapolando o conceito TPM (Total Productive Maintenance) uma pessoa encarregada da jardinagem pode levar a cabo trabalhos simples de manutenção com a formação adequada, aumentando a satisfação do colaborador ao ver como lhe dão mais responsabilidades. E ainda nos ajuda a conseguir uma maior satisfação do cliente, que graças à contínua inovação pode ver como os seus ativos estão melhor utilizados e os seus resultados melhoram, obtendo uma importante redução de custos.

Por outro lado, o Big Data e a Internet das Coisas são outros dos recursos que nos permitem chegar à máxima eficiência na produção. A informação que se recolhe constantemente ajuda-nos a atuar de forma proativa e não só a reagir quando há uma falha. Graças a isto, podemos monitorizar o estado das máquinas, o que torna possível realizar a sua manutenção preditiva. De esta forma, evitam-se avarias devido à degradação de peças e reduz-se o risco de paragem de uma linha de produção. O que implica uma maior segurança e poupança no processo produtivo.

Em resumo, estamos a dizer que, graça às novas tecnologias somos capazes de analisar distintos cenários e adaptar os nossos serviços para nos adiantarmos às necessidades dos nossos clientes.